Terças Whovians: Into the Dalek

tercaswhovians2

Alguns atores que interpretaram o Doctor em sua era clássica já comentaram que o momento que se sentiram realmente o Doctor foi quando se viram cara-a-cara com um Dalek. Não sei se isso é verdade ou não, mas Peter Capaldi teve o privilégio de encarar o vilão mais clássico de Doctor Who em seu segundo episódio, exibido nesse último sábado. E então, como será que foi a volta daqueles que nunca realmente foram embora? Como sempre, ALERTA SPOILER!

Logo de cara conhecemos a soldado Journey Blue, que é salva pelo Doctor quando a nave em que estava explode, uma cena que lembrou um pouco o oitavo Doctor, interpretado pelo Paul McGann, no mini websódio “The Night of the Doctor”, tentando salvar a Cassie.

Journey Blue também não fica muito feliz com o ato heróico, exigindo ser levada de volta para sua base. O Doctor então faz com que ela ao menos peça com educação. Já na nave, o Doctor é gentilmente obrigado a ajudá-los com um pequeno probleminha: um Dalek que está doente, mas que (pasmem) deseja a destruição de todos os Daleks.

Ao mesmo tempo, conhecemos Danny Pink, um personagem que desde o seu anúncio trouxe algumas dúvidas e expectativas ao fandom. Danny Pink é um ex-soldado que está dando aulas na mesma escola em que Clara é professora. Apresentado como um “lady killer”, logo descobrimos que Danny é tudo, menos isso. Aparentemente muito tímido e atrapalhado com o sexo oposto, Danny diz não aos convites de Clara, mesmo querendo dizer sim.

Danny Pink me pareceu deliciosamente comum, e sim, isso é ótimo numa série que em suas últimas temporadas pareceu dar importância demais ao impossível e ao especial. Também gostei das poucas cenas entre ele e a Clara. Se ele não tiver nenhum passado extraordinário, vou adorar conhecer melhor esse personagem.

E aí o Doctor aparece, três semanas depois e com Starbucks (que foi o que a Clara tinha pedido pra ele no final do episódio passado) e leva a Clara pra ajudar a descobrir o que há de errado com o Dalek junto com ele. Para isso, eles são diminuídos para conseguirem passear dentro do Dalek.

Acho que essa idéia de ver o que existe dentro do Dalek interessante e até a bendita frase do trailer “Para onde estamos indo? – Para a escuridão” fez mais sentido. Mas devo confessar que minha mente viajou um pouco e não consegui prender minha atenção no que estava acontecendo.

Resumão da história: eles consertam o Dalek e ele que era bonzinho volta ao normal de novo e chama toda a sua tropa para destruir a nave base. Então, para salvar todo mundo, o Doctor deduz que eles tem que fazer o Dalek lembrar de tudo que descobriu enquanto estava doente. Mas não sem antes levar um tapa na cara, literalmente, da Clara, quando fica feliz por descobrir que estava certo e não existe Dalek bom. Clara é quem faz que ele entenda que não, não era aquilo que eles tinham aprendido naquele dia.

Olha, sou totalmente a favor da Clara discutir com o Doctor e acabar salvando o dia, mas precisava ser com um tapa na cara? Nunca fui muito fã desse tipo de coisa, apesar de que acontece com uma certa frequência até. Lembro da Martha e da Donna estapeando o Doctor, por exemplo. Mas, enfim, apesar de ter me incomodado um pouco, não foi algo que estragou a cena para mim.

A Clara consegue ativar as memórias do Dalek, temos mais uma humana se sacrificando e aparecendo no bendito paraíso com a Missy, e o Doctor então tenta mostrar para o Dalek como ele vê o universo, para convencê-lo de que vale a pena ser bom. E aí chegamos na minha parte preferida do episódio.

dalek

O Dalek vê sim a beleza do universo através dos olhos do Doctor. Mas vê também o ódio que ele tem dos Daleks e isso faz com que ele acabe destruindo todos os Daleks que estão invadindo a nave base, e ainda mande um sinal para que os outros pensem que não há mais humanos ali. Então ele vai com os outros Daleks com o objetivo de acabar com eles também.

E quando ele percebe que o Doctor não está feliz com a vitória, e o Doctor responde que vitória seria um Dalek, o Dalek responde: “Eu não sou um bom Dalek. Você é um Dalek bom.” (mudei a ordem das palavras na minha tradução para que o sentido permanecesse).

Antes de irem embora, a Journey Blue pede para ir com o Doctor, mas ele nega o pedido porque ela é uma soldado. Um pouco hipócrita isso, sempre achei, mas o Doctor sempre vai ser hipócrita em relação a isso.

E aí, claro, nós temos toda a discussão se o Doctor é um bom homem, algo que ele perguntou para a Clara e ela não soube responder. Antes de sair, a Clara ainda responde que não sabe, mas que ele tenta ser, e isso é o que importa. No que ela está certíssima.

Achei que foi um bom episódio. Talvez cortaria o meio dele, que achei meio lenga-lenga demais, mas a discussão da dinâmica Doctor x Dalek é algo que sempre me deixou interessada. Gostei também da Clara nesse episódio e o Danny Pink foi um personagem que me interessou bastante. Até então, Doctor Who está me surpreendendo positivamente nessa temporada. Agora é esperar pelo novo episódio.

mari-transp

1 comentário

Arquivado em Terças Whovians

Uma resposta para “Terças Whovians: Into the Dalek

  1. Maria Lourdes

    Não. Não gostei do episódio. Nem da série toda.
    Não se salvou um episódio sequer.
    Só o próprio Capaldi se salva. Ele é um bom Dalek, e um ótimo Doctor.
    Só não temos um bom Moffat…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s