Arquivo da tag: chick-lit

Acabei de Ler: Desde o Primeiro Instante – Mhairi McFarlane

Não sei como andam as leituras de vocês, mas de uns tempos pra cá, tenho achado muitos livros meio repetitivos, principalmente quando falamos sobre romance. Todos conhecem a chamada “receita de bolo”, que basicamente muda o nome dos personagens e do cenário, mas segue uma série de acontecimentos que todo mundo já sabe que vai acabar no felizes para sempre. Isso às vezes cansa e desanima a gente na hora de começar outro livro de romance. Com Desde o Primeiro Instante, porém, isso não acontece.

desde_o_primeiro_instante Continuar lendo

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Acabei de Ler

Acabei de Ler: A Summer Fling – Milly Johnson

Esse foi o primeiro dos livros da Milly Johnson que eu li, mas se você quiser começar a ler livros dessa autora, recomendo que comece com The Yorkshire Pudding Club, porque além de ter sido o primeiro publicado da Milly Johnson, ainda uma das histórias daquele livro tem uma certa continuação aqui.asummerfling

Porém, se você, como eu, começar por esse livro, não tem problema, porque ler “ao contrário” não atrapalha a história.

Esse livro conta a história de quatro mulheres, em idades e momentos da vida diferentes, que trabalham num mesmo departamento. Por serem diferentes, elas nunca pararam para se conhecer e são meramente pessoas que trabalham num mesmo lugar.

Com a chegada de uma nova chefe, a Christie, porém, as coisas começam a mudar. Inconformada com o fato de ser chefe de um departamento totalmente feminino onde não há, porém, sinais de amizade entre as funcionárias, ela começa a implementar mudanças para tentar mudar o clima e quebrar algumas barreiras entre elas. O resultado é surpreendente.

A mais velha delas, a Grace, já poderia estar aposentada, se quisesse. Porém, ainda é nova (tem 55 anos) e se recusa a se entregar a passatempos de velho, o que acaba causando atritos com seu autoritário marido. Ela tem três filhos já adultos que não são biologicamente seus, mas para ela não há nenhuma diferença, e que são, basicamente, a razão para ter se casado.

Anna foi deixada pelo noivo por uma moça muito mais jovem que ela. Na verdade, Anna se sente bem mais velha do que é e acabou se deixando de lado. Isso muda quando é escolhida por um programa de TV daquele estilo “10 Anos Mais Jovem” e um estilista vampiresco e charmoso que promete mudar totalmente sua aparência apenas… mudando sua lingerie.

Raychel é a mais nova das quatro, mas já está casada e feliz há vários anos. Porém, existem coisas em seu passado que Raychel não conta pra ninguém.

Dawn, apesar de não ser a mais nova em idade, é com certeza a caçula delas. Ela está de casamento marcado e, como perdeu os pais muito nova, quer muito voltar a fazer parte de uma família. Porém, talvez a família do noivo não seja a melhor opção.

Bem interessante como a Milly Johnson trabalha as diferenças e semelhanças nas histórias dessas mulheres e mostra como pouco a pouco a amizade entre elas vai nascendo e se desenvolvendo. Com o desenrolar da história e a aproximação das quatro, elas vão descobrindo um pouco mais das vidas umas das outras, e vão percebendo o quão pouco se pode conhecer uma pessoa mesmo a vendo todos os dias.

Conforme os problemas vão surgindo, elas vão se completando e se ajudando, dando força e apoio… é interessante imaginar como a vida delas teria seguido caso a amizade não tivesse surgido. Será que elas teriam coragem de fazer o que tinha que ser feito? Aquela atitude que sem o devido empurrão nunca é tomada, mas pode mudar o rumo da sua vida?

Enfim, A Summer Fling é definitivamente um livro de verão: com várias alusões à essa estação do ano, a história mostra como em cada uma dessas mulheres, independente de suas idades ou momentos de vida, estava a vontade de ver o Sol nascer. mari-transp

Deixe um comentário

Arquivado em Acabei de Ler

Acabei de Ler: A Spring Affair – Milly Johnson

Esse foi um daqueles livros que você se encanta tanto que simplesmente não consegue parar de ler. Foi o segundo livro da autora que eu li (o primeiro, A Summer Fling, eu também amei) e sinceramente, achei mais uma autora do tal do gênero “chick-lit” que eu vou indicar para todo mundo. O único grande problema é que, até agora, nenhum dos livros dela foi publicado aqui no Brasil, o que complica se você não lê em inglês.
 aspringaffair
A Spring Affair conta a história da Lou, que tem que lidar dia-a-dia com uma mãe não só prefere a irmã dela, como também sempre tem uma crítica na ponta da língua, com uma chefe que aterroriza todo o departamento em que ela trabalha, com um marido que exige comida sempre na mesa e a roupa sempre lavada e com o fantasma do caso extraconjugal que ele teve no passado (e o seu medo de que a história volte a se repetir).
As coisas começam a mudar quando Lou lê um artigo numa revista na sala de espera do dentista, com dicas sobre como dar aquela geral e se livrar de todos os cacarecos e tralhas que a gente vai juntando, com a idéia de usar depois, que um dia pode ser útil… Inspirada por esse artigo, a Lou começa a fazer uma limpeza nas gavetas e armários, colocando fora tudo que no fim das contas só ocupa espaço. Mas não é só nas gavetas que a Lou acaba dando uma geral, mas também na própria vida.
Quantas vezes você já não ouviu para largar certas coisas, certos sentimentos e até mesmo certas pessoas na sua vida que só fazem volume? Com o desenrolar da história, a Lou vai escolhendo o que ainda funciona na vida dela e o que já está na hora de pôr na caçamba e deixar ir embora. Inclusive, acaba indo atrás de uma amiga de quem já tinha se distanciado e voltando aos planos de abrir seu próprio negócio.
Acho que foi esse o aspecto que eu mais gostei no livro: mostra como às vezes a gente se agarra em coisas (objetos, situações, pessoas) e na verdade já passou da hora de dar uma reciclada. Não é um livro piegas, não é um livro dramático, mas acaba fazendo você pensar na própria vida, o que é muito mais do que eu posso dizer sobre muito livro de auto ajuda que a gente vê pipocar por aí. Aliás, fiquei totalmente energizada para dar aquela geral nas minhas gavetas cheias de tralha…mari-transp

Deixe um comentário

Arquivado em Acabei de Ler

Acabei de Ler: The Yorkshire Pudding Club – Milly Johnson

The Yorkshire Pudding Club foi o primeiro livro que a Milly Johnson escreveu e até por causa disso é um dos melhores para começar a ler dela. Conta a história de três amigas de longa data, completamente diferentes uma da outra, que de repente se encontram na mesma situação: estão grávidas.theyorkshire Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Acabei de Ler

Acabei de Ler: Diamonds are Girls Best Friends – Jenny Colgan

20130227-231244.jpg

Eu comecei a ler esse livro simplesmente porque tinha sido escrito pela Jenny Colgan, e já tinha tido boas experiências com ela. Porém, dessa vez, não gostei muito da leitura.

A história é sobre a Sophie, uma menina rica que nunca teve que se preocupar com dinheiro. Ela perde a mãe ainda criança e o pai tenta compensar a perda dando para ela tudo o que ela quisesse. Com os mimos do pai e com as amizades que faz na escola, não é de surpreender que ela acabe virando uma menina folgada e mimada, fingindo que trabalha enquanto gasta todo o dinheiro do pai em festas e compras.

Mas uma noite tudo acaba virando de cabeça pra baixo: numa festa, a melhor amiga dela acaba roubando o seu namorado e, ao chegar em casa, ela dá de cara com as ambulâncias que tentavam salvar seu pais, que acaba morrendo vítima de um ataque cardíaco.

A verdadeira surpresa porém está no testamento do pai: ela terá que ficar seis meses sem mesada e sem nenhuma ajuda financeira, além de ter que sair da casa onde mora, para se virar sozinha. Após os seis meses, ela poderá voltar para sua fortuna.

Essa poderia ser uma história muito clichê, mas não o é. Muito pelo contrário, os fatos que ocorrem na história são bem realistas: não há nenhum grande vilão, nem uma solução mágica de contos de fada para salvá-la da pobreza iminente.

Sophie vai morar com um bando de rapazes: dois deles são estudantes de arte, um está no exército e o outro é estranho. Sério, no meio do livro eu ainda tinha dúvidas se ele era humano ou um cachorro muito bem treinado. Começa a trabalhar com o seu ex-patrão, que era um fotógrafo da moda, mas que tem um outro negócio muito mais rentável por fora, fazendo fotografias de gosto duvidoso de aspirantes a modelo sem muita roupa.

Ela começa a lidar com a falta de dinheiro, com o apartamento extremamente sujo que ela tem que limpar já que não tem dinheiro para fazer o depósito, com as “amigas” que insistem em voltar para sua vida… E aos poucos vai mudando. Ainda por cima, ela se sente extremamente atraída por um dos estudantes de arte, mas está convencida de que ele nunca vai querer algo mais sério com ela. E o outro dos estudantes acaba virando um amigo que vira namorado.

Os pontos altos desse livro: ele não acaba da maneira que você deve estar achando que ele acaba depois de ler o resumo que eu escrevi. Isso é bom, porque pra mim teria sido muito chato. A Sophie realmente cresce emocionalmente e acaba reavaliando o que é importante e o que não é.

Os pontos baixos: os personagens secundários são mal desenvolvidos, no sentido de que a história acaba se centralizando muito na Sophie. Alguns deles parecem estar lá simplesmente como pano de fundo. E apesar da situação não acabar da maneira esperada, os personagens são em alguns momentos extremamente previsíveis.

É um livro interessante e definitivamente não é água com áçucar. Só não sei ainda se vale a pena. Definitivamente, não é o melhor de Jenny Colgan.foto3

Deixe um comentário

Arquivado em Acabei de Ler